Gustavo Mioto: “Fim do Mundo” une pós-grunge ao sertanejo.

Ao g1, sertanejo dono de hits como ‘Solteiro não trai’ e ‘Eu gosto assim’ explica composição com letra exagerada e som um pouco mais roqueiro. ‘Sempre fui muito fã do Creed’, diz ele.

Gustavo Mioto acena para fã na Festa do Peão de Barretos 2022

Foto: Ricardo Nasi/g1

Gustavo Mioto, o cantor paulista de 26 anos conhecido por seus sertanejos românticos, surpreendeu com a música “Fim do Mundo”. Inspirado pelo rock e influências de bandas como o Creed, ele explora uma abordagem mais intensa e roqueira, divergindo de seu estilo anterior. A canção destaca a importância de viver o presente e abraçar a vida como se fosse o último dia.

Mioto revela que sua paixão pela música inclui diversos gêneros, e ele gosta de estudar a história musical, incluindo o rock das décadas passadas. “Fim do Mundo” é uma expressão desse lado mais elétrico de sua música.

A música foi criada a partir de um sentimento genuíno de aproveitar o presente, questionando como agiríamos se fosse o fim do mundo. Mioto, agora, valoriza mais seu tempo e prioriza a qualidade de vida, evitando uma agenda lotada de shows e focando em sua família e relacionamentos, incluindo sua namorada, a cantora Ana Castela. Ele quer aproveitar sua juventude e explorar novas experiências enquanto continua a criar música autêntica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

YouTube
YouTube
Instagram